Em post recente em seu blog oficial, Niantic divulga um pouco dos bastidores do lançamento de Pokémon GO!

Apesar, de nos últimos quatros anos, a equipe de engenheiros da Niantic ter criado e ampliado o Ingress, o primeiro Real World Game, como chamam o novo conceito de jogos que usam o mundo real como fundo de jogo, criado pela própria Niantic, e trabalhado na estrutura de arquitetura de modo a prover uma plataforma capaz de escalabilidade massiva para todos os futuros jogos a ser lançados, a experiência obtida com a Google Cloud Platform fez com que fosse obvia sua escolha para trazer o mundo de realidade aumentada de Pokémon GO à vida.

Pokémon GO foi baixado mais de 500 milhões de vezes desde seu lançamento e mesmo com toda a previsão antecipando uma adesão maciça de treinadores em seu lançamento, ainda assim,  o que não foi previsto é que se tornaria de imediato um fenômeno global!

“Ditto” isso, o alcance de serviços da Google Cloud Platform permitiu que a equipe da Niantic focasse apenas nos jogadores, ao invés de perder tempo gerenciando e assegurando os servidores e sua infra-instrutora. Tendo o mundo em tempo-real de Pokémon GO compartilhado por milhões de jogadores, exigido uma arquitetura capaz de se expandir através da coleção de servidores. O serviço Cloud Datastore, que a Niantic estava usando, em pouco tempo estava rodando mais do que 50 vezes as projeções iniciais!

google-cloud-platform-pokemongo

A demanda de jogadores subitamente explodiu para uma ordem de magnitude, 10 vezes as mais agressivas estimativas da Niantic, o que acabou culminando na necessidade de reparos rápidos enquanto o jogo já estava rodando, enfrentando um cenário que envolvia o crescimento massivo de jogadores.

Com o produto do Google Cloud e os times de engenheiros participando ao lado da Niantic como parceiros de consultoria, foi possível superar esse “rush” de milhões de Treinadores entusiasmados e ainda assim conseguir estabilizar o servidor.

Os times de engenheiros de ambas as empresas(Google e Niantic) começaram a correr contra o relógio ao perceber que a popularidade de Pokémon GO iria exceder todas as mais selvagens estimativas. Dúzias e mais dúzias de times através da Cloud Platform e outros produtos do núcleo do Google se uniram para dar suporte à Niantic, enquanto pressionavam melhorias constantes com o Pokémon GO já ativo, em prol dos Treinadores. Paralelamente,  os times de infraestrutura do Google trabalharam para alinhar todos os sistemas, garantindo capacidade suficiente para manter a popularidade em ascensão de Pokémon GO.

Após este fascinante relato, Niantic finaliza com sinceros e gigantescos agradecimentos para o time do Google Cloud por todo seu suporte, e deixando clara sua intenção em aumentar ainda mais a comunidade de Pokémon GO com eles nos próximos anos.

Lembramos, que segundo o próprio John Hanke, o CEO da Niantic, o Pokémon GO não tem nem 10% ainda, de tudo o que tem esquematizado e programado para ele!

E por isso, jogadores que continuarem ajudando a manter a comunidade só tem novidades e mais motivos para continuar apreciando esse fenômeno global que é Pokémon GO!